Prefeitura apresenta a empresários projeto de ocupação do Comércio

Como forma de incentivar a ocupação do bairro do Comércio, que outrora já foi um dos mais importantes de Salvador, a Prefeitura da capital baiana apresentou a empresários, ontem, o projeto de revitalização e de habitação da região


Tribuna da Bahia, Salvador
12/12/2019 09:40 | Atualizado há 10 dias, 19 horas e 15 minutos

   
Foto: Yuri Abreu

Por: Yuri Abreu


Como forma de incentivar a ocupação do bairro do Comércio, que outrora já foi um dos mais importantes de Salvador, a Prefeitura da capital baiana apresentou a empresários, ontem, o projeto de revitalização e de habitação da região, além das ações já adotadas pela gestão municipal na tentativa de dar uma nova cara a localidade.

Participaram do evento - que ocorreu na sede da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (ADEMI-BA), no bairro do Caminho das Árvores -, associados, parceiros da entidade e dirigentes, como o presidente Cláudio Cunha. Por parte da Prefeitura, estiveram presentes a presidente da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Tânia Scofield, e o vice-prefeito de Salvador e secretário municipal de infraestrutura, Bruno Reis.

Durante a explanação a empresários, Reis pediu aos espectadores que acreditassem no projeto e abraçassem a causa. Dentre os benefícios aos investidores, ele pontuou que a gestão municipal vem promovendo um conjunto de ações para estimular a economia, a exemplo de incentivos fiscais, a simplificação dos processos para a implantação de novos empreendimentos na cidade e a redução dos prazos de licenciamento.

Na oportunidade, ele destacou os mais de R$ 300 milhões investidos pela Prefeitura de Salvador, com recursos próprios, em cerca de 40 iniciativas nas regiões do Comércio e do Centro Histórico – sem contar que 80% das secretarias municipais vão migrar para a região na Cidade Baixa. Com relação aos entregues, ele apontou o Hub de Tecnologia, a Casa do Carnaval, o Terreiro de Jesus e a Rua Miguel Calmon.

Já quanto àqueles que estão em obra, foram citados a Restauração da Casa dos Azulejos Azuis (R$ 7,8 milhões), a Rua Cônego Pereira (R$ 16 milhões) e a Praça Cairu (R$ 6 milhões), que terá a primeira parte das obras entregue em janeiro.

Dentro desse projeto, que faz parte do Programa Salvador 360 – Eixo Centro Histórico, ainda estão previstos para começar intervenções em dois galpões da Codeba, onde serão criadas áreas de lazer e gastronomia, o Mercado Modelo e o Elevador Lacerda, através de parceria com a Ferreira Costa.

“Após diversos estudos, nós chegamos a conclusão que, para promover uma revitalização do Centro Histórico, em especial do Comércio, se faz necessário também ter o foco na habitação. O Comércio tem ocupação até o início da tarde de sábado. Aos finais de semana, além da nossa estratégia da série de atividades do ‘Vem Pro Centro’, há o desejo da Prefeitura de darmos as condições para que a iniciativa privada possa investir, viabilizando unidades, tanto comerciais, quanto residenciais”, disse Bruno Reis.

Cláudio Cunha ressaltou que a Ademi-BA tem todo o interesse em contribuir para que o Comércio volte a ter a desenvoltura de outros tempos. “A gente sabe que o que traz vida aos bairros e aos logradouros é a habitação. Nosso objetivo é conhecer o projeto a fundo e, com os associados, encontrar e fomentar essa ocupação e esse desenvolvimento do bairro”, afirmou.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas