Pais fazem orçamento de material escolar com cautela neste final de ano

Às vezes surpresas amargas ocorrem e por isso a maioria da população parece estar aprendendo


Tribuna da Bahia, Salvador
12/12/2019 13:58 | Atualizado há 10 dias, 11 horas e 33 minutos

   
Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia

Por: Cleusa Duarte


Nem bem as aulas terminaram e os pais já estão preocupados com as compras de material escolar para o próximo ano. Assim acontece no Brasil onde a economia é uma caixinha de surpresas. Às vezes surpresas amargas ocorrem e por isso a maioria da população parece estar aprendendo. Pelo menos é o que diz uma vendedora da livraria Lapa, no centro de Salvador. Muita movimentação é em relação ao orçamento.

“Vejo muitos pais aqui pela manhã com uma listinha na mão. Eles perguntam, anotam e vão embora. Os mesmos retornam mais na parte da tarde e então compram o material desejado. Alguns reclamam dos preços. Outros retornam somente uma semana depois. Mas tenho observado que os clientes têm aparecido antes mesmo do final de ano”, conta a vendedora Batânia Alves da livraria Lapa na Joana Angélica.

Já Lila Moraes conta que tem reaproveitado material escolar, “às vezes ficam cadernos com muitas páginas sem uso. Agora eu retiro as páginas usadas e reutilizo no próximo ano. A carestia é muita e o começo das aulas já é em fevereiro”, diz a advogada que tem dois filhos com 8 e 10 anos.

A enfermeira Carlita Azi comenta que suas filhas estão no ensino médio, “passou a fase de comprar borracha do patinho, da bonequinha. Agora é lápis e caneta, também não tem aquela preocupação com lápis de cor. O problema é quando sai a lista dos livros. Mas a maioria deles só estão disponíveis nas próprias escolas, diz.

O economista Eduardo Fonseca alerta “peçam descontos, não tem problema reutilizar material do ano anterior. Além disso dispensem os cadernos da moda se quiserem economizar. Avista os descontos são maiores.”

Outra dica importante é utilizar o 13º salário “é uma renda -extra bastante esperada pelos brasileiros, mas não deve ser apenas para atender suas satisfações pessoais e levar a realização de seus sonhos, como um presente. O beneficio deve ser priorizado para cobrir o seu desequilíbrio financeiro. Usem esse dinheiro para estes compromissos importantes. Isso é educação financeira. Os brasileiros ainda estão em processo de aprendizagem”, comenta Fonseca.

Para comprar o material escolar é importante fazer o orçamento do que precisa, mas também de quanto a família dispõe . “além de ter consciência do quanto poderá dispor para a aquisição do material escolar, após fazer o diagnóstico financeiro, é fundamental de última hora”, diz Fonseca.

Adriana Andrade mãe de uma adolescente no ensino médio também comenta “eu procuro conversar com outros pais e tento fazer a compra em conjunto, pois, assim, a probabilidade de conseguir preços menores aumenta. Também passo o material do mais velho para o menor. Entro em grupos de zap, redes sociais em geral e costumo levar bons descontos principalmente para os livros. Também faço uma lista do que realmente preciso, para não sair comprando à toa”, finaliza.”

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas