Irã admite que derrubou avião ucraniano 'sem intenção', diz TV estatal

Canadá e Reino Unido defendiam tese de que míssil abateu Boeing, matando 176 pessoas na quarta-feira. Mas hipótese só foi confirmada pelos militares iranianos neste sábado


Tribuna da Bahia, Salvador
11/01/2020 06:00 | Atualizado há 16 dias, 54 minutos

   
Foto: AP Photo/Ebrahim Noroozi

O Irã anunciou neste sábado (11) que seus militares derrubaram "sem querer" o avião ucraniano que caiu na quarta-feira (8) perto de Teerã. Na tragédia morreram 176 pessoas.

A TV estatal iraniana, citando militares, informou que o avião voava perto de um local sensível e foi derrubado devido a um erro humano. O comunicado lido na TV estatal diz que as partes ​​responsáveis serão punidas.

Canadá e Reino Unido diziam que o avião, um Boeing 737, foi abatido por um míssil iraniano, provavelmente por engano, e vários vídeos que apontam para esta tese foram postados nas redes sociais. O Irã, entretanto, negava categoricamente a tese até a manhã deste sábado.

O desastre ocorreu na madrugada de quarta, logo após o Irã disparar mísseis contra bases militares utilizadas pelos militares americanos estacionados no Iraque em resposta ao assassinato pelos EUA contra um general iraniano.

O voo PS752 da companhia Ukraine Airlines International (UAI) decolou de Teerã rumo a Kiev e caiu dois minutos depois.

Um vídeo de cerca de 20 segundos mostra imagens de um objeto luminoso que sobe rapidamente para o céu e toca o que parece ser um avião.

O vídeo foi publicado por vários meios de comunicação, como o jornal "The New York Times".

Na quinta-feira (9), o presidente americano Donald Trump disse ter "suspeitas" sobre a queda do avião ucraniano.

"Estava voando em uma área bastante difícil e alguém poderia ter se enganado", acrescentou.

As declarações de Trump coincidiram com informações neste sentido aventadas por meios de comunicação como a "Newsweek", a CBS e a CNN.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas