Morre Valdir Joaquim de Morais, lendário goleiro do Palmeiras

Aos 88 anos, ele teve falência múltipla dos órgãos em Porto Alegre, sua cidade nata


Tribuna da Bahia, Salvador
12/01/2020 07:00 | Atualizado há 15 dias, 4 horas e 49 minutos

   
Foto: Divulgação/Palmeiras

Morreu ontem (11), em Porto Alegre, cidade onde nasceu, o ex-goleiro Valdir Joaquim de Morais, um dos maiores ídolos da história do Palmeiras. Ele tinha 88 anos e teve falência de múltiplos órgãos. Seu corpo será cremado neste domingo na capital gaúcha.

O Palmeiras manifestou seu pesar pela morte do ídolo, que além de jogador foi treinador interino em algumas ocasiões e preparador de goleiros do time - ele criou a função, em 1969 -, por meio do Twitter. "É com muito pesar que a Sociedade Esportiva Palmeiras informa o falecimento de Valdir Joaquim de Morais e manifesta condolências aos amigos e familiares do eterno goleiro do Verdão. Obrigado por tudo, ídolo!", foi a mensagem do clube.

Valdir Joaquim de Morais estava internado no hospital Moinhos de Vento, na capital gaúcha, desde a última terça-feira, após passar mal em casa. Ele estava com a saúde debilitada desde que sofreu um AVC, em 2016. No ano seguinte, sofreu uma fratura do fêmur e teve de ficar acamado. Nos últimos meses, sua saúde piorou bastante.

CARREIRA

Valdir Joaquim de Morais começou a carreira no Renner, de Porto Alegre, em 1947. Defendeu a equipe até 1958, ano em que se transferiu para o Palmeiras.

No clube de Palestra Itália, ele jogou por 10 anos. Fez 480 partidas com a camisa do Palmeiras, participou da primeira Academia e conquistou sete títulos. Foi três vezes campeão paulista (1959, 1963 e 1966), duas vezes da Taça Brasil (1960 e 1967), além do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967) e do Rio-São Paulo (1965). Encerrou a carreira no Cruzeiro, de Porto Alegre, em 1969.

Como jogador, defendeu a seleção em 1965, em um jogo em que o Palmeiras representou o Brasil em um amistoso contra o Uruguai, vencido por 3 a 0, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

Depois de parar de jogar, além de preparador de goleiros e técnico interino, foi coordenador técnico por duas vezes. A última, em 2011, marcou a sua despedida do futebol.

Valdir de Morais também foi preparador de goleiros da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1982, na Espanha, fazendo parte da comissão técnica de Telê Santana. Ele também trabalhou em outros clubes, entre eles o São Paulo e o Corinthians.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas