Raio Laser - 14/01 - Recorrer

O presidente da AL-BA Nelson Leal (PP), confirmou ontem que a Procuradoria do Parlamento estadual irá recorrer da decisão judicial que suspendeu a votação da reforma da Previdência dos servidores públicos do estado


Tribuna da Bahia, Salvador
14/01/2020 06:40 | Atualizado há 13 dias, 35 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Nelson Leal (PP), confirmou na manhã de ontem que a Procuradoria do Parlamento estadual  irá recorrer da decisão judicial que suspendeu a votação da reforma da Previdência dos servidores públicos do estado.

Na contramão (Hilton Coelho)

Autor da ação que suspendeu a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 158/2019, o deputado estadual Hilton Coelho (PSOL) comentou a posição do presidente da Assembleia Legislativa, Nelson Leal (PP). Para ele, a atitude do presidente da Casa “vai na contramão da perspectiva de uma ação democrática”. “Estranhíssima [a posição de Leal], principalmente porque a liminar está baseada na negação do direito do exercício da função parlamentar”.

Sem investimentos (Rui Costa)

Em meio à liminar para suspender a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 158/2019, impetrada pelo deputado estadual Hilton Coelho (PSOL) concedida pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a Secretaria de Comunicação do governo Rui Costa (PT) defendeu a PEC que altera o regime da Previdência dos servidores públicos estaduais e no comunicado pontuou consequências da não aprovação da reforma. “A Bahia ficará inadimplente com o Governo Federal, ou seja, o Governo do Estado deixará de receber investimentos da União e não poderá contrair novos empréstimos. Automaticamente, obras poderão ser paralisadas ou nem mesmo terão início”, diz a nota, divulgada logo após uma liminar proposta pelo deputado estadual Hilton Coelho (PSOL) suspender a tramitação da PEC nº 158/2019 na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

Grave consequência

Segundo o texto, “outra grave consequência é o aumento do rombo da previdência estadual”. “O Governo do Estado tem retirado um volume cada vez maior de recursos do orçamento para pagar aposentados e pensionistas, cobrindo assim o chamado déficit da previdência. Este dinheiro poderia ser aplicado em obras e ações. Se a PEC não for aprovada com urgência, a cada novo ano, muito mais dinheiro público será utilizado para pagar aposentados do Estado”, reforçou.

Fé (Geraldo Júnior)

Os vereadores de Salvador, que anualmente renovam a fé cristã, já se preparam para agradecer ao Senhor do Bonfim pelas glórias alcançadas no ano que passou. Este ano, entretanto, percorrerão os 8 km que se inicia na Basílica da Conceição da Praia até a Colina Sagrada, com um pedido especial: a renovação dos seus mandatos, levando em conta se tratar de um ano eleitoral atípico com nova legislação, sem coligações. Porém, que não fará a maioria de desistir do sonho de buscar a reeleição. O próprio presidente da Casa, vereador Geraldo Júnior já tem presença confirmada no bloco do prefeito ACM Neto (DEM) e do pré-candidato à sucessão de Neto (DEM) Bruno Reis (DEM), ao qual pode ser vice e já antecipa seus pedidos.

Presença confirmada

O PSD Bahia participa, nesta quinta-feira (16), com os seus representantes da tradicional Lavagem do Bonfim. “Unido, a exemplo de outros anos, o PSD participa da festa religiosa e comemora, neste ano, os 275 anos da imagem de Nosso Senhor do Bonfim", disse o presidente estadual do partido, senador Otto Alencar. O senador percorrerá com parlamentares federais, estaduais e municipais e lideranças do PSD os oito quilômetros que separam a Igreja da Conceição da Praia, no Comércio, da Colina Sagrada, no Bonfim.

Decisão

Quando Jair Bolsonaro disse que havia decidido demitir Sergio Moro, o general Augusto Heleno respondeu, segundo Thaís Oyama: “Se demitir o Moro, o seu governo acaba”. A informação é do site O Antagonista.

Vice (Tiago Correia)

Eleva-se cada vez mais a cobiça pela vaga de vice na chapa do vice-prefeito Bruno Reis à sucessão do prefeito ACM Neto. Ontem, foi a vez do deputado estadual Tiago Correia (PSDB) garantir que tem todas as condições para ocupar o cargo. “Sou vereador eleito por dois mandatos e fui presidente da Limpurb, então eu passei a conhecer ainda mais a cidade. Fiz parte da gestão do prefeito ACM Neto. Acho que posso contribuir como vice. Tenho condições e estou com vontade de contribuir. Um vice que possa somar”, ressaltou Tiago, sem nenhuma cerimônia, somando a outros diversos nomes.

Provocação (João Leão)

O vice-governador João Leão (PP) comentou mais uma vez a composição eleitoral do grupo liderado pelo prefeito ACM Neto (DEM), principal adversário ao qual time que integra. Dessa vez Leão disse acreditar que o prefeito apoiará dois candidatos à sucessão. “ACM Neto terá dois candidatos a prefeito. Bruno Reis e o secretário da Saúde Léo Prates”, disse, em entrevista à rádio Metrópole, na manhã de ontem. Atual secretário de Saúde de Salvador, Prates pediu desfiliação do DEM, e tudo indica que migrará para o PDT para ser candidato à prefeitura de Salvador.  O detalhe fica por conta de o PDT integrar a base do governo Rui Costa (PT).

Rebate

Não se sabe se em rebate ao vice-governador João Leão ou não, mas, ontem, o vice-prefeito Bruno Reis (DEM), pré-candidato à sucessão municipal, garantiu que o secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates (sem partido), não será seu adversário na disputa. “[…] não há a hipótese de Bruno Reis e Leo Prates disputarem a mesma eleição para o mesmo cargo. Podem ter certeza que nas convenções estaremos juntos. Pelo compromisso que eu e Leo temos com o projeto que há 20 anos estamos construindo juntos, e principalmente com o compromisso que temos com Salvador”, disse Reis em entrevista à imprensa.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas