Bahia tem queda de quase 10% em crimes violentos em 2019

Os números de 2019 da segurança pública baiana foram apresentados na manhã de ontem (13), pelo titular estadual da pasta, Maurício Barbosa


Tribuna da Bahia, Salvador
14/01/2020 10:21 | Atualizado há 13 dias, 3 horas e 30 minutos

   
Foto: Divulgação / Secom GOVBA

Por: Yuri Abreu


A Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) divulgou os dados criminais e as ações policiais relativas o ano de 2019. A coletiva de imprensa foi realizada ontem, na sede Centro de Operações e Inteligência (COI), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), e contou com a presença do titular da pasta, Maurício Barbosa, além de representantes das Polícias Militar e Civil.

Um dos principais destaques do levantamento foi a queda de 9,4% nos chamados Crimes Violentos Letais Intencionais, a exemplo de homicídios, latrocínios e lesão corporal seguida de morte. Ao todo, conforme a SSP-BA, 531 vidas foram preservadas de janeiro a dezembro de 2019, em comparação com o ano de 2018. Na capital, a redução foi de 11,4%, seguido pelo interior, com baixa de 9,7% e pelas cidades da Região Metropolitana de Salvador (RMS), que computaram um decréscimo de 4,5%.

No quesito de roubos a instituições financeiras, houve redução nas ocorrências: 26%, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. Este é o quinto ano consecutivo de redução desta modalidade de crime. Em 2019 foram computados 17 casos a menos de roubos a bancos no estado, se comparado o mesmo período de 2018, quando foram registradas 49 ocorrências em toda a Bahia. O interior do estado alcançou o maior índice de queda, com baixa de 42% de registros, seguida por Salvador, com decréscimo de 14%.

Mas, por outro lado, a Bahia registrou 101 feminicídios em 2019, um aumento de mais de 30% em relação ao ano anterior. “Este é um dos nossos principais desafios. Apesar dos esforços da SSP e de outros órgãos, o aumento do feminicídio é uma realidade, não só da Bahia, mas em todo o país. Estamos engajados com a SPM, o MP, a Defensoria Pública e outros órgãos da rede de proteção à mulher para mudarmos essa realidade”, afirmou Barbosa. Na ocasião, ele anunciou o lançamento da Operação Ronda Maria da Penha em mais nove municípios baianos.

Reconhecimento facial

Segundo o órgão estadual, cento e dez criminosos (homicidas, feminicidas, traficantes, estupradores, receptadores, assaltantes e outros) foram alcançados, na capital e em Feira de Santana em 2019, após alertas do Sistema de Reconhecimento Facial, implementado pela SSP-BA. O software analisa os rostos captados pelas câmeras inteligentes e compara com o banco de dados da pasta, possibilitando a captura de pessoas que tenham mandado de prisão expedido pela Justiça.

“Tivemos a consolidação da utilização da tecnologia em prol da segurança pública. A Secretaria de Segurança Pública sai na frente, AM âmbito nacional, e coloca a tecnologia do reconhecimento facial como uma ferramenta importante na prisão de pessoas que são procuradas. Acabamos o ano com um número extremamente satisfatório. A nossa meta, em 2020, é a de ampliar o sistema, alcançando os municípios do interior do estado”, pontuou Maurício Barbosa.

Além disso, através da análise criminal e de operações preventivas e ostensivas foram capturadas 20.799 pessoas, sendo 17.355 em flagrante delito e 3.444 por meio de mandado de prisão. Mais de 4,8 mil adolescentes cometeram infrações legais e foram encaminhados para a Delegacia do Adolescente Infrator (DAI).

Durante as ações, 23 fuzis (armas de grosso calibre utilizada principalmente por grupos especializados em roubos a bancos) foram apreendidos, assim como 4.109 revólveres, espingardas, pistolas e metralhadoras. Já trinta e quatro toneladas de drogas foram apreendidas e incineradas em Salvador, RMS e interior. Além de porções prontas para comercialização em diversos bairros da capital, grandes operações conjuntas alcançaram quase quatro toneladas de cocaína e 30 toneladas de maconha (em tabletes e em plantações) e outros entorpecentes.

A Secretaria também destacou as ações de combate à violência contra a mulher, que foram reforçadas ao longo do ano, gerando 76 prisões por intermédio da Operação Ronda Maria da Penha. Foram promovidas 24 mil rondas ostensivas e 10.462 fiscalizações de medidas protetivas, segundo dados registrados até o mês de novembro.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas