Oposição de Lauro de Freitas cria bloco alternativo a Moema e Teobaldo

Mauro Cardim visitou a Tribuna ontem juntamente com outros pares do agrupamento


Tribuna da Bahia, Salvador
15/01/2020 12:28 | Atualizado há 11 dias, 17 horas e 5 minutos

   
Foto: Divulgação

Por: Henrique Brinco


Lideranças políticas inconformadas com a gestão da prefeita Moema Gramacho (PT) criaram em Lauro de Freitas o movimento intitulado “A União Faz a Força em Lauro”. O grupo foi formado na semana passada com objetivo de unir todos os pré-candidatos que fazem oposição à atual gestão. Além da criação de um projeto para a cidade.

Integram a associação o presidente do Instituto Metropolitano de Desenvolvimento Social e Inovação, Mauro Cardim, o ex-vereador Marcelo Santana (MDB), vereador Emanuel Carvalho (PSDB), vereador Coca Branco (Cidadania), Luis Bacelar (PTB), Marcelo Meirelles, o ex-prefeito Marcelo Abreu, o presidente do DEM local, ex-vereador Chico Franco, e o ex vice-prefeito Bebel Carvalho. Oficialmente, apesar dos integrantes de outras legendas, apenas MDB e PTB aderiram ao grupo. As negociações com as outras agremiações estão acontecendo.

"Estamos entendendo que essa união de pré-candidatos vamos estabelecer um rito que é a construção de um projeto de renovação e de reestruturação da população de Lauro de Freitas, que se encontra em uma posição lamentável de abandono. Estamos trabalhando para construir um projeto", declarou Mauro Cardim (PP), que visitou a Tribuna ontem juntamente com outros pares do agrupamento.

O ex-vereador Marcelo Santana endossa a necessidade da união e critica a gestão. "Você tem uma gestão totalmente ocupada para militantes e apadrinhados. Uma gestão voltada para o inchaço da máquina. Lauro de Freitas tem uma arrecadação de anual de cerca de meio bilhão de reais e existe uma ausência de políticas públicas sérias e investimentos. Então, a gente se insurge contra esse processo."

Questionados pela reportagem se o grupo aceitaria dialogar com Moema ou Teobaldo Costa, os dois principais pré-candidatos apresentados até então, os integrantes informaram que apenas estão abertos para conversar com o empresário. "Com Moema não existe diálogo", ressalta Cardim.

Bacelar, que é pré-candidato a prefeito, reforça a ideia de que o candidato a ser escolhido deverá sair do grupo. Ainda não há uma definição sobre qual critério será utilizado para escolher o cabeça de chapa. "Se daqui não tem condição de sair um candidato a prefeito, não tem sentido isso aqui. Ou alguém está se valorizando para negociar com Teobaldo?", questiona.

Teobaldo tem aparecido frequentemente no noticiário como provável candidato a ser apoiado pelo prefeito ACM Neto (DEM) no município. Nos bastidores, o comentário geral é que ele deverá sair em uma dobradinha com Mateus Reis. Bacelar, por sua vez, afirma que o dono da rede de supermercados Atakarejo corre o risco de ser impugnado por suposta campanha antecipada.

Rosana Paixão, presidente do PTB, afirma que "Teobaldo é um vendedor de sonhos". "O que eu vejo em Lauro de Freitas hoje é um anseio pela busca da informação. As pessoas querem saber o que os políticos vão fazer. Esse grupo começou a poucos dias é temos muitas coisas a acertar".

MAURO X MOEMA

Mauro Cardim integrou a gestão de Moema, ocupando o cargo de secretário de Desenvolvimento. O rompimento ocorreu de maneira conturbada, com troca de agressões verbais por meio da mídia. "Nós constituímos um grupo de partidos que na eleição passada integrava o bloco da prefeita, com o objetivo de implementar o projeto de cada partido. Nós trabalhamos muito pela cidade", afirmou, ao ser questionado sobre o assunto. "A prefeita vem de uma escola que não é a minha, que é de desqualificar os seus aliados e ex-aliados. Trabalho na construção de projetos. Tomei uma decisão e pedi a exoneração para a prefeita. Tenho isso documentado".

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas