Enem: Erro na correção afetou cerca de 6 mil candidatos, diz Weintraub

Ministro da Educação aponta 'incongruências' nas correções das provas em ao menos quatro cidades brasileiras. Erro teria sido causado por falha em impressora da gráfica contratada pelo Inep para confecção da prova


Tribuna da Bahia, Salvador
20/01/2020 14:42 | Atualizado há 7 dias, 23 horas e 34 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, estimou em seis mil pessoas o número de afetados por erro na correção da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Em entrevista à Rádio Gaúcha, do Rio Grande do Sul, o chefe da pasta considerou "baixo" o impacto e disse que as notas serão corrigidas ainda na segunda-feira (20).

"A gente já tem o número de pessoas e vai ser corrigido hoje à noite", disse Weintraub. "Estamos falando de 0,1% das pessoas, isso dá cerca de cinco ou seis mil candidatos, problemas que vão ser corrigidos. O impacto é baixo e não vai ter nenhum efeito para a maioria das pessoas."

Ministro da Educação, Abraham Weintraub (à esq.), afirma que houve 'inconsistências' na correção do Enem 2019; pronunciamento foi feito ao lado de Alexandre Lopes, presidente do Inep — Foto: Luis Fortes/MEC

Ministro da Educação, Abraham Weintraub (à esq.), afirma que houve 'inconsistências' na correção do Enem 2019; pronunciamento foi feito ao lado de Alexandre Lopes, presidente do Inep — Foto: Luis Fortes/MEC

O ministro explicou que o erro ocorreu na impressora da gráfica Valid Soluções S.A, responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios dos cadernos de provas. Segundo ele, a máquina "dava umas engasgadas" durante a impressão e isso gerou o descolamento da prova com o gabarito.

O ministro disse que, por ter sido um problema mecânico da máquina, deverá tomar as medidas cabíveis contra a gráfica. "Aparentemente não foi uma coisa de má-fé, foi um acidente, coisa que acontece. Não depende da minha avaliação. A gente vai ver legalmente o que acontece", disse Weintraub.

Segundo o portal G1, em contato com a gráfica Valid Soluções S.A, mas a empresa informou que não vai comentar o assunto.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas