Roger projeta "comunicação constante" com aspirantes do Bahia e avalia aproveitamento

Treinador tricolor elogiou a equipe de Dado Cavalcanti e afirmou que espera ver cada vez mais grupo integrado com elenco principal


Tribuna da Bahia, Salvador
24/01/2020 09:55 | Atualizado há 28 dias, 12 horas e 25 minutos

   
Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Enquanto o time principal não estreia, apenas a equipe de aspirantes do Bahia foi a campo oficialmente em 2020. Na última quarta-feira, o time comandado por Dado Cavalcanti empatou com o Juazeirense, pela primeira rodada do Campeonato Baiano. A partida foi acompanhada de longe pelo técnico Roger Machado, que viu um time organizado, apesar das dificuldades com o gramado do estádio Adauto Moraes.

- Claro que assisti ao jogo. A gente trabalha... não gosto de dizer que trabalhamos com duas equipes. Na verdade, é uma equipe só dividida em dois momentos em função de um calendário. É muito difícil. Nosso grupo hoje está muito pequeno. Grupo principal tem 21, 22 jogadores. A qualidade do trabalho aumenta muito. Acaba também tendo menos insatisfações. Campeonato Baiano é importante. Dado tem o mesmo tempo de casa do que eu. Jogo de ontem mostrou isso, time que se trabalhou muito aumentando a qualidade dos jogadores, com prospecção para que oportunidade possam ser utilizados no principal. Para min a qualidade de jogo foi boa. Foi difícil porque os gramados não têm a mesma qualidade de quando joga na Fonte Nova ou em Pituaçu. Mas percebi um time organizado, competitivo, que com jogadores jovens, mesmo saindo atrás, foi para empatar a partida. Vivemos um momento no clube que nos permite, com o time do Dado, fazer um bom Campeonato Baiano e honrar muito a camisa do Bahia.

Roger tem trabalho bem perto com os jogadores do time de aspirantes do Bahia. Alguns dos reforços contratados pelo clube têm treinado com o grupo principal. Segundo Roger, a ideia é que os grupos estejam cada vez mais integrados.

- Ideia é que a gente tenha atividades conjuntas. Nos outros clubes que passei, sempre priorizei que o sub-23 estivesse treinando no mesmo horário que o profissional. Uma coisa é jogar contra, outra é ver jogar. A terceira questão é diariamente trabalhar com o atleta. Nada melhor que esse intercâmbio, esse fluxo, diálogo constante. A logística que tinha no Fazendão, muitas vezes nos impedia. Ainda estamos em fase de adaptação aqui. Mas já nos permite ter estado lado a lado a semana passada inteira. Agora que a competição começou, e o calendário acaba modificando um pouco, fica um pouco mais difícil. Na medida do possível estou trazendo os meninos para cá. O Arthur Rezende que chegou junto conosco, mas que pode ser utilizado. Veio para o sub-23, mas precisava de um início de temporada como nós, em função de a equipe do Dado estar treinando a mais tempo, se juntou com a gente. O Fessin, que foi para o banco ontem, fez quase toda a pré-temporada com a gente. Vitinho, do sub-20, que não foi para a Copinha, também esteve com a gente. Acho muito salutar esse fluxo. O clube ganha muito com isso. A ideia é comunicação constante, e nosso CT hoje permite. A vida dentro do clube é muito significativa.

Roger estreia com o time principal do Bahia no próximo sábado, contra o Santa Cruz, pela Copa do Nordeste. Já o time de aspirantes do Tricolor volta a campo no domingo, contra o Vitória da Conquista, pelo Campeonato Baiano. Os dois jogos estão marcados para as 16h.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas