Coluna Adegas &Drink’s (Por Scheila Bulhões) - edição do dia 24/01

O vinho além do vinho


Tribuna da Bahia, Salvador
24/01/2020 12:44 | Atualizado há 4 dias, 2 horas e 39 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

Você já deve ter ouvido em algum momento que o vinho é uma bebida afrodisíaca. Nos tempos antigos história, lendas e mesmo figuras mostravam o quanto a bebida de Baco mexia com os sentidos, deixando homens e mulheres muito mais propensos para uma noite a dois.

Nem só de mitos vive essa suposição: a ciência está cada vez mais confirmando que o vinho contém diversas substâncias ativas que realmente podem fazer bem para o organismo como um todo, inclusive na área sexual. 

O vinho como afrodisíaco tem grandes vantagens, pois ao contrário de medicamentos e fármacos, ele é natural e faz muito bem quando consumido em quantidades moderadas. Estudos demonstram que uma ou duas taças por dia podem sim ter propriedades benéficas, inclusive no âmbito sexual!

A explicação do porque de isso acontecer ainda não está completamente elucidada, mas os pesquisadores já começam a explorar diversas probabilidades.

Você sabe qual diferença entre vinho fino e vinho de mesa?

Para compreender a diferença entre vinho de mesa e vinho fino é necessário saber um pouco sobre a videira. A videira pertence ao gênero Vitis, que possui mais de quarenta espécies, entre as quais a Vitisvinifera, como as famosas Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay. Existem ainda outras espécies, como a Vitislabrusca, Vitisrupestris, Vitis riparia e Vitisbourquina. Estas, chamadas de uvas de mesa, também conhecidas como uvas americanas, são mais adequadas para o consumo direto e para produção de sucos e uvas passas, mas também são capazes de produzir vinho, embora de qualidade inferior em relação aos produzidos com uvas Vitisvinífera, também chamadas de uvas finas. Disparidade causada pela sua diferença estrutural - a espécie Vitisvinifera é menor e tem casca mais grossa e densa.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas