Coluna Boa Terra (Por: Valdemir Santana) - Edição do dia 11/02

A poderosa “Abril” desafia onda digital e traz “Veja Rio” de volta às bancas, amanhã, com notícia baiana


Tribuna da Bahia, Salvador
11/02/2020 15:09 | Atualizado há 8 dias, 17 horas e 48 minutos

   
Foto: Reprodução

Um ano depois que a onda digital caiu com um efeito dominó sobre a poderosa holding editorial “Abril S.A.” e retirou de circulação quase dez publicações, a gigante se recupera. Nesta quarta, 12, a emblemática “Veja Rio”, a irreverente e precisa porta-voz do life style carioca, volta às bancas. A edição local da influente “Veja” tem o forte conceito editorial de noticiar fatos cariocas ou fluminenses. Mas agora o gancho jornalístico permite incluir personagens baianos na coluna “Beira mar”.

É a noticia sobre o retorno do casamento entre o ator baiano Érico Braz, que mora no Rio de Janeiro e trabalha na “TV Globo”, e a escritora carioca Kenia Maria Dias (os dois na foto) A nota “Érico e Kenia: casal na lista dos negros mais influentes está de volta” não é pouca coisa. A revista detalha que em 2018 os dois entraram juntos na lista do “Most Influential People of African Descendent”, o “MIPAD”, uma seleção anual dos cem negros mais influentes do mundo, feita com a chancela da “ONU”. Mas nada de ciumeiras baianas com a noticia no Rio . Afinal a “Veja Rio” conta que depois de um ano de separação, Kenia e Érico se reaproximaram em Salvador, durante a pulsante “Festa de Iemanjá” em dois de fevereiro.

Pintura do gênio baiano Aurelino Santos chega a Brasília com status da all over nova-iorquina

Quase desconhecido na cena artsy de Salvador, o pintor Aurelino Santos causa um rebuliço e tanto na elite brasileira quando trabalhos dele são mostrados em outras cidades. Como acontece desde o final de semana quando a curadora baiana Thaís Medrado Darzé abriu a exposição “Construção Obsessiva” no prédio vanguardista do “Museu Nacional de Brasília”, na capital do país. São cem pinturas, produzidas entre 1980 e 2015, que ficam em exposição até o final de março.

A apresentação dos trabalhos, feita pelo diretor do museu, Charles Cosac, esbanja elogios.“ Segue a linguagem pós-guerra norte americana do all over. Suas telas são integralmente cobertas a ponto de camuflar seu próprio suporte” comparou o magnata que antes de dirigir o museu ficou conhecido como um dos maiores colecionadores de arte do país. O que Cosac diz é nada menos que uma comparação entre o geometrismo de Aurelino Santos e o expressionismo abstrato de artistas como Jackson Pollock que deu a Nova York o status de pólo mundial da arte, no pós-guerra.

Além da genialidade, Aurelino tem diagnóstico médico de transtorno mental. Quem descobriu o talento do artista foi a arquiteta romana Lina Bo Bardi, quando morou na Bahia nos anos 1980 e fundou o “Museu de Arte Moderna” em Salvador. Antes desta exposição em Brasília, o baiano Aurelino dos Santos virou sensação no país quando o escultor e curador de arte Emanoel Araujo fez a exposição “Aurelino – transformação do real” também com cem obras, no “Museu Afro Brasil” de São Paulo, em 2012.

“Fasano Salvador” nos planos do novo executivo da grife hoteleira

O novo destaque no noticiário de negócios hoteleiros de luxo, o executivo Rodrigo Napoli que acaba de ser indicado como diretor de vendas da grife hoteleira “Fasano”, fala sobre o novo cargo com estratégia que interessa à Bahia. Contou em matérias publicadas na mídia especializada em turismo que está entusiasmado em estar num grupo em expansão, que é referencia em hotelaria de luxo. Entre os principais desafios do executivo estão consolidar o contínuo crescimento da marca nos novos destinos que são Salvador, Belo Horizonte, Angra dos Reis e Trancoso.

A competência de Rodrigo Napoli não é pouca coisa. Ele deixou em setembro de pertencer à cúpula da poderosa “GJP Hotels & Resorts” a holding comandada pelo magnata Guilherme Paulus, dona de hotel de luxo em Salvador.

Claudia Leitte leva camarote andante como novidade para o Rio de janeiro

A estréia de Cláudia Leitte, anteontem, levando mais de cento e cinqüenta mil pessoas às ruas do Rio de Janeiro, foi muito mais do que a primeira vez da cantora fluminense em apresentação solo no estado onde nasceu. A artista que mora na Bahia e é tida como cantora baiana, levou com carinho uma sutileza bem pulsante do carnaval de Salvador para a folia de rua no Rio. Ela desfilou num carro poderoso e grande, levando a reboque um camarote andante. É um recurso que faz e acontece nos principais redutos da folia baiana.

O quadrilátero cool recebe a atriz Sibel Kekilli com festa na pulsante “LaLá Casa de Arte”.

Famosa mundialmente por participar da serie internacional de tevê “Game of Thrones” a atriz de origem turco-alemã Sibel Kekilli já está em Salvador, como a coluna antecipou com exclusividade, e é apresentada em grande estilo ao cenário cultural do Brasil. Na sexta, 14, participa de uma festa de boas vindas na pulsante “LaLá Casa de Arte” na riviera da Paciência no Rio Vermelho. A festa não é apenas para a linda Sibel. A artista faz parte do novo grupo de residentes do “Programa de Residência Artística Vila Sul” mantido pelo “Goethe-Institut Salvador-Bahia” que funciona no exclusivo Corredor da Vitoria, em Salvador.

O grupo é formado por artistas da elite da cena contemporânea e inclui nomes de peso que são o escritor e fotógrafo Andreas Dauerer e o deejay Daniel Haaksman, ambos da Alemanha; o músico e artista interdisciplinar João Renato Orecchia Zúñiga, da África do Sul e a artista plástica e cenógrafa Lindiwe Matshikiza, também da África do Sul.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas