Homenagem a ialorixás e ato contra intolerância marcam comemorações aos 42 anos da Cidade da Luz

Ao som dos pontos dos orixás tocados por atabaques, um grupo de curimba, formado por mulheres da umbanda, anunciou a subida das ialorixás mães Carmen de Oxalá, Nice de Iansã, e Jaciara de Oxum


Tribuna da Bahia, Salvador
12/02/2020 23:55 | Atualizado há 7 dias, 8 horas e 55 minutos

   
Foto: Divulgação / Virginia Oliveira

Ao som dos pontos dos orixás tocados por atabaques, um grupo de curimba, formado por mulheres da umbanda, anunciou a subida das ialorixás mães Carmen de Oxalá, Nice de Iansã, e  Jaciara de Oxum,  a um lugar de destaque no palco da Cidade da Luz, na última terça-feira (11). As três representantes do Candomblé foram homenageadas por José Medrado, espírita, médium e fundador do complexo socioassistencial, diante de uma plateia composta por mais de duas mil pessoas e, ao lado de lideranças de outras entidades religiosas. A homenagem foi uma forma de reparação pelos atos de violência, perseguição e intolerância sofridas por integrantes de religiões de matrizes africanas, disse José Medrado emocionado, durante a celebração em comemoração dos 42 anos da Cidade da Luz. Essas mesmas lideranças saudaram o amor e a paz, durante ato inter-religioso, realizado ao longo do evento.

De acordo com José Medrado, a união entre as religiões, é indispensável para promoção da paz. Por isso, ao longo da história, a Cidade da Luz, apesar de ter como base o espiritismo, sempre se mostrou aberta para acolher pessoas, de credos distintos. “Aqui, não impomos religião, pregamos o amor! Não o amor piegas, mas, sim, o amor energia, o amor dedicação e luta. Prova disso, é que um dos internos que acolhemos em nosso antigo abrigo, hoje, é  um dos líderes da igreja Assembleia de Deus”, afirmou José Medrado, se referindo ao pastor Antônio Lazaro, presente ao culto, e que foi recebido em condição de abandono, aos 4 anos de idade, no antigo Abrigo Lar Luz do Amanhã, que  era mantido pela Cidade da Luz.

A linha inter-religiosa da Instituição também foi endossada pelas demais lideranças presentes à celebração, tais como o arcebispo da Igreja Anglicana, Padre Alfredo Dorea; o Padre da Igreja Católica, Luiz Simões; Luciano Ariel Gomes (judaísmo); o Sheik Abdul Hameed Ahmad (islamismo); além de Josemar Sales do Hare Krishna; a prela Júnior Marinalva Jandira dos Santos (Seicho No Iê) e Pai Rafael Moraes, da Umbanda – todos eles envolvidos na mesma corrente do bem, contra a intolerância religiosa.

Além das homenagens e do culto, o evento também contou com apresentação do Coral Raio de Sol, que entoou cânticos de todas as religiões presentes,  do Grupo CTE Capoeiragem , e apresentação de hip hop, todos parceiros de projetos realizados pela Cidade da Luz, através do Centro de Cultura e Arte Pai João. Durante o evento, José Medrado também recebeu placa comemorativa do Comitê Inter-religioso da Bahia (CIB), em homenagem aos 42 anos da Casa. 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas