Políticos baianos repudiam declaração de Guedes sobre domésticas

Políticos baianos divulgaram declarações de repúdio a respeito da declaração do Ministro da economia, Paulo Guedes sobre domésticas na Disney


Tribuna da Bahia, Salvador
14/02/2020 10:38 | Atualizado há 6 dias, 1 hora e 15 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

Por: Henrique Brinco


Políticos baianos divulgaram declarações de repúdio a respeito da declaração do Ministro da economia, Paulo Guedes na última quarta-feira, quando disse que o "dólar mais alto é bom para todo mundo”. Ele afirmou que, com o dólar mais baixo, “todo mundo” estava indo para a Disney, nos Estados Unidos, inclusive “empregada doméstica".

Para o governador Rui Costa, é o "retrato da elite brasileira". "Infelizmente, esse é o registro da elite brasileira. Uma elite que se incomoda profundamente com qualquer ascensão, qualquer benefício que os que vêm de baixo têm. Basta uma empregada doméstica fazer poupança de muitos anos, parcelar em não sei quantas vezes e conseguir viajar pro exterior, pra virar um escândalo na opinião do ministro", disse.

A deputada Alice Portugal (PCdoB), vice-líder da Minoria na Câmara dos Deputados, disse que o ministro está se especializando em ofensas gratuitas aos servidores públicos e ao povo brasileiro. “Do alto da sua visão elitista e antipovo, o ministro chama em primeiro lugar os servidores públicos de parasitas, de uma maneira agressiva, totalmente inapropriada para um ministro que fala pelo Brasil nos fóruns econômicos internacionais. Não reconhece o papel do serviço público na manutenção da integridade do Estado brasileiro. É alguém completamente despreparado para assumir o cargo de ministro de Estado, inclusive para conviver com os servidores que os servem, que não são parasitas. Parasitário é o regime que ele defende, é a submissão ao capital externo. Num dia, eles elogiam o presidente Trump, e no outro o Brasil é retirado da lista de países em desenvolvimento”, disse.

Sobre a declaração do ministro em relação às empregadas domésticas, Alice classifica a fala como preconceituosa e elitista. “Para ele, um empregado doméstico não é um trabalhador que tenha direitos, que possa fazer uma viagem para se divertir com sua família, por exemplo. É uma visão ultraliberal, ajoelhada aos interesses econômicos externos. A reforma trabalhista que tirou direitos dos trabalhadores, agora ele consegue piorar com a MP 905 e a PEC 186, tirando os direitos mínimos dos mais pobres”, diz.

A deputada federal Lídice da Mata (PSB) também se manifestou. “Guedes tem apreço pelo mercado financeiro e desprezo pelo povo. Num dia ofende os servidores, no outro a empregada doméstica, que é a categoria mais subjugada da sociedade. Ele é a imagem do governo Bolsonaro, que é um oásis para os mais ricos e um pesadelo para os mais pobres”.

O vice-líder do governo da Bahia na Assembleia Legislativa, deputado Robinson Almeida (PT), foi mais incisivo. "Tentando justificar a sua desastrada política econômica, que provocou disparada do dólar, aumento de preço do gás e combustíveis, o asqueroso ministro da economia explicitou numa declaração todo o preconceito que existe no governo Bolsonaro, que ele faz parte", declarou o petista.

"Paulo Guedes expõe todo ódio e mesquinhez da classe dominante desse país, que coloca seus privilégios acima de tudo. O período do Governo Lula e Dilma foi o de maior inclusão socioeconômica e redução de desigualdades em nosso país. O Governo tornou o Brasil referência, naquele período, em um conjunto de políticas públicas que garantiu respeito aos Direitos Humanos, melhorias na qualidade de vida do nosso povo, redução das desigualdades regionais e projetou o nosso país, como protagonista, no cenário internacional", finalizou o parlamentar.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas