Raio Laser - 15/02 - Reforma?

Há rumores no governo de que o governador Rui Costa (PT) estaria estudando uma nova reforma administrativa


Tribuna da Bahia, Salvador
15/02/2020 06:50 | Atualizado há 18 dias, 9 horas e 37 minutos

   
Foto: Reprodução / Google fotos

Há rumores no governo de que o governador Rui Costa (PT) estaria estudando uma nova reforma administrativa. Ela não tem tempo certo para sair mas objetivaria dar, além de uma oxigenada na gestão, corrigida em rumos pretendida pelo gestor, preocupado em fortalecer sua saída da administração, daqui a dois anos. Também seria pressionada pela proximidade com as eleições deste ano. Segundo um secretário próximo a Rui, o assunto não tem ganhado visibilidade propositalmente. Mas ele, pessoalmente, já pegou o governador citando, mais de uma vez, a necessidade dos ajustes. Ontem, depois de participar de entrega na área de Saúde, em Cajazeiras, Rui não tocou no assunto, mas deputados confiam plenamente em que a mudança ocorrerá.

O vice (Fábio Vilas-Boas)

O governador Rui Costa (PT) brincou, durante a inauguração da Unidade de Saúde da Família (USF) de Cajazeiras na manhã de ontem, com o secretário de Saúde do estado, Fábio Vilas-Boas. Ao cumprimentá-lo antes do seu discurso, o chefe do Executivo baiano pediu que Vilas-Boas se levantasse “para que o povo pudesse te conhecer”. Depois, fez uma segunda declaração que levou os presentes a avaliarem que gostaria que Vilas Boas saísse candidato a vice da major Denice Santiago, da PM, escolhida por ele para disputar a Prefeitura pelo PT.

Miliciano

O miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega foi morto por dois tiros de fuzil, de no mínimo um metro e meio de distância, e chegou ao Instituto Médico Legal de Alagoinhas, a pouco mais de 135 quilômetros de distância de Salvador, com os dois pulmões destruídos e o coração dilacerado. Os detalhes foram divulgados na tarde desta sexta-feira, 14, na sede do Departamento de Polícia Técnica, em Salvador.

Guilhotina e risco (Luiz Caetano)

Os últimos acontecimentos em Camaçari envolvendo exonerações de órgãos do Estado de pessoas ligadas ao Podemos ocuparam espaço na mídia local. O comentário é o de que Maurício Bacelar, comandante municipal da legenda, estaria indignado com as demissões, segundo os textos, executadas a pedido de Luiz Caetano. O ex-prefeito de Camaçari por três mandatos é reconhecido como um político habilidoso, mas estaria tendo dificuldades para viabilizar a pré-candidatura de sua esposa, Ivoneide Caetano, à Prefeitura da cidade.

Sem chance (Leo Prates)

Depois de fazer uma carga que chamou a atenção de elogios ao secretário municipal de Saúde, Leo Prates (PDT), em discurso durante inauguração de Unidade de Saúde da Família, em Cajazeiras, o governador descartou a possibilidade de ele obter seu apoio à disputa pela Prefeitura de Salvador. “Se ele (Leo Prates) for candidato, será pela base do prefeito (ACM Neto), a menos que você proponha que ele dê as costas ao prefeito”, disse Rui.

Pedido

A subprocuradora-geral da República, Lindôra Maria Araújo, citou assassinatos, altas cifras sem origem comprovada, falsificação de documentos, destruição de provas e a complacência do Poder Público ao pedir ao Superior Tribunal de Justiça que mantenha presa a ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Maria do Socorro Barreto Santiago, o juiz Sérgio Humberto Quadros Sampaio, e outros três alvos da Operação Faroeste, que mira esquema de venda de sentenças em processos relacionados à grilagem de terras no oeste da Bahia.

Jornalistas

A Secretaria de Comunicação do Estado da Bahia (Secom) divulgou nota na noite de ontem sobre a ação de policiais militares que terminou com dois repórteres da revista “Veja” na delegacia da Polícia Civil, em Pojuca. Os profissionais de imprensa estavam em frente à casa do fazendeiro Leandro Abreu Guimarães, testemunha-chave sobre as circunstâncias da morte do miliciano Adriano da Nóbrega, na tentativa de entrevistá-lo.

Nota

“A Secretaria de Comunicação Social do Estado da Bahia (Secom) esclarece que a ação da Polícia Militar (PMBA) envolvendo repórteres da revista Veja, ontem, não teve a intenção de impedir o livre exercício da profissão jornalística”, diz o texto divulgado pela pasta, acrescentando que “os jornalistas não foram detidos”. “A defesa incansável da liberdade de imprensa é prerrogativa inviolável e nossa prática diária”, acrescenta.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas