Vasco leva bola no travessão aos 50 do segundo tempo, mas segura empate e se classifica

Em jogo de péssimo nível técnico, equipe pouco sofre durante maior parte do duelo, porém escapa de levar gol no último lance


Tribuna da Bahia, Salvador
19/02/2020 23:53 | Atualizado há 19 dias, 5 horas e 54 minutos

   
Foto: AFP

Em jogo de nível técnico muito ruim no Estádio Ramón Tahuichi, nesta quarta-feira, o Vasco fez o mínimo que precisava para avançar à segunda fase da Sul-Americana: não sofreu gols contra o Oriente Petrolero. Também não marcou, não jogou bem, mas está classificado.

Classificação importantíssima, porém mais uma atuação para deixar a torcida do Vasco preocupadíssima para o restante da temporada.

Numa noite em que o meio-campo não funcionou muito bem, sobretudo em função dos muitos erros de Marcos Júnior, o Vasco quase não criou na Bolívia. Seus dois melhores lances foram no primeiro tempo. Primeiro Talles Magno acertou o travessão de Banegas. Mais tarde Cano deu belo drible em Saucedo e chutou por cima.

Na etapa final, o Vasco foi ainda pior. Chegou apenas com Marrony no fim após cruzamento de Cano, uma das figuras mais lúcidas em campo.

Os bolivianos também nada fizeram, mas, após erro primário de Ribamar, o Petrolero saiu para o contra-ataque, e Bueno carimbou o travessão de Fernando Miguel no último lance de perigo.

Vergonha na Bolívia: goleiro se queixa de racismo

O goleiro reserva Alexander reclamou com o quarto árbitro que teria sido chamado de macaco. O juiz exibiu cartão amarelo para o banco, muito provavelmente para Alexander. A transmissão flagrou torcedores fazendo gestos.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas