Economia anuncia R$ 10 bilhões para complementar renda de trabalhador

O governo federal decidiu compensar parte do rendimento dos trabalhadores que podem vir a ter seus salários reduzidos por conta da crise do coronavírus


Tribuna da Bahia, Salvador
20/03/2020 09:00 | Atualizado há 10 dias, 3 horas e 50 minutos

   

O governo federal decidiu compensar parte do rendimento dos trabalhadores que podem vir a ter seus salários reduzidos por conta da crise do coronavírus. Por isso, vai liberar até 25% do valor ao qual esses trabalhadores poderiam ter acesso caso fossem demitidos e solicitassem o seguro-desemprego.

A medida foi anunciada ontem pelo Ministério da Economia e deve liberar pelo menos R$ 250 mensais aos trabalhadores que recebem até dois salários mínimos e poderão ter seu rendimento cortado pela metade neste momento de desaceleração econômica.

O pagamento deve ser liberado por três ou quatro meses e pode beneficiar até 11 milhões de pessoas. Por isso, deve ter um custo de R$ 10 bilhões ao Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT).

O corte de até 50% da carga horária dos trabalhadores da iniciativa privada foi anunciada nessa quarta-feira (18) pelo Ministério da Economia dentro do pacote antidesemprego do governo federal, que tenta evitar a alta do desemprego no Brasil durante a crise do coronavírus.

Petrobras

A Petrobras informou, ontem, que reajustou os preços em suas refinarias, com redução de 7,5% no óleo diesel e de 12% na gasolina a partir de ontem.

A companhia comunicou que também reduziu o preço do GLP, o gás de cozinha, em 5%. Com isso, no acumulado do ano, a redução de preço de óleo diesel é de 29,1%, de gasolina é de 30,1% e de GLP é de 7,9%. A política de preços da Petrobras considera o valor do barril de petróleo no mercado internacional, que desabou com a pandemia de coronavírus, com queda na demanda.


Marina Barbosa - Correio Braziliense

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas