Menos transportes deixa Salvador quase vazia

Com a diminuição do transporte público, cidade fica quase sem movimento, mas os pontos dos ônibus estão cheios e população reclama da demora


Tribuna da Bahia, Salvador
25/03/2020 06:30 | Atualizado há 14 dias, 17 horas e 32 minutos

   
Foto: Reprodução

Por: Cleusa Duarte


Usuários do transporte coletivo em Salvador reclamam da espera de ônibus nos pontos por conta da diminuição da frota. De acordo com os órgãos públicos, a decisão foi tomada para que a população fique em casa em distanciamento social.

Mas muitos trabalhadores, que não estão em home office e são indispensáveis em seus trabalhos continuam dependendo dos coletivos.

Nailson Souza de Almeida mora do Bairro da Paz e é porteiro em um prédio na Pituba, mas mesmo com rodízio feito pela administração, precisa sair pelo menos três vezes ou quatro na semana. Ontem , terça, 24, ele pegou transporte e esperou muito no ponto, “a espera é longa , mas os ônibus estão vazios. Saio do bairro da Paz em direção a Pituba e apesar da espera quando entrei sentei facilmente. Pouca gente no transporte.”

O infectologista Robson Reis garantiu em entrevista a Tv Bahia, que a contaminação será amenizada nos próximos dias se as pessoas circularem menos pelas ruas “o momento é de ficar em casa, “quanto menos gente circulando, menor a disseminação do vírus.”

No comando da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) Fábio Mota diz que nos primeiros dias da diminuição da frota de ônibus houve aglomeração nos ônibus que saem da estação da Lapa, “como o metrô também diminuiu o número de saídas. Chegaram mais passageiros ao mesmo tempo na estação Lapa e ficou movimentado , para os usuários que viajavam em direção a Barra e Graça. Mas isso já foi resolvido. Com as novas medidas do prefeito e fechamentos de lojas, restaurantes, menos pessoas transitam pelas ruas. Em dias normais circulam um milhão e 300 mil pessoas nos transportes coletivos, agora temos 400 mil pessoas circulando. Não justifica colocar a frota normal na rua. A ordem é ficar em casa.”

O prefeito de Salvador avisa, “nessa semana nós temos menos atividades funcionando na cidade, inclusive a própria prefeitura reduziu os seus serviços, nós vamos ter que continuar reduzindo o transporte público para que a população veja que, sem ônibus, não adianta se aglomerar na estação, porque não haverá o transporte, principalmente nos horários que prejudiquem as pessoas que têm que trabalhar. Inclusive estamos colocando serviços de autofalantes nos bairros mais carentes, explicando a necessidade de ficar em casa e cuidar das suas famílias, neste momento. Vamos sensibilizar os empregadores também, para que entendam a situação e só utilizem trabalhadores presencialmente em casos indispensáveis.”

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas