Depois de 14 dias, greve dos vigilantes termina

Categoria paralisou por reivindicação de reajuste salarial. De acordo com sindicato, estado de greve está mantido e a categoria pode parar novamente quando estado de calamidade for encerrado


Tribuna da Bahia, Salvador
25/03/2020 06:30 | Atualizado há 14 dias, 18 horas e 14 minutos

   
Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia

Poliana Antunes


Após 14 dias de paralisação das atividades, o Sindicato dos Vigilantes do Estado da Bahia (Sindvigilantes-Ba), decidiu suspender a greve geral dos vigilantes do estado a partir de hoje (25). De acordo com o sindicato, o momento é especial e a prioridade é defender a vida, a saúde e a proteção de pessoas. “É importante continuar o principal compromisso dos homens e mulheres que integram os quadros dos e das profissionais da segurança privada”.

O sindicato destaca que considerando a calamidade pública, as limitações impostas e a responsabilidade com a vidas de todos se tornou maior e mais urgente que suas justas querelas com os empregadores. “Inclusive, que neste contexto de calamidade, a atividade dos profissionais de segurança privada está inserida entre as atividades essenciais (Decreto 10.282/2020)”; explica.

O órgão lembra, ainda que levando-se em conta as decisões tomadas pelas direções dos Sindicatos no último dia 19, principalmente a suspensão de todas as assembleias, concentrações e atividades externas vinculadas a greve da categoria, tendo em vistas as restrições decretadas por autoridades governamentais.

Desse modo, o órgão diz que essa ação, significa que, passado a pandemia e levando-se em conta a situação do Dissídio Coletivo em tramitação na Justiça do Trabalho, podem decidir pela retomada da greve.

“A partir desta quarta-feira, 25, estaremos junto aos vigilantes, inclusive nos seus postos de trabalho, para cuidar da proteção da sua saúde e do seu emprego, uma vez que as empresas tem deixado de fornecer equipamentos de proteção aos profissionais contra o Coronavírus, a exemplo de mascaras, luvas ou adotado procedimentos de isolamento de áreas, entre outras recomendações das autoridades, profissionais da área médica ou até mesmo previsão em Normas e Leis”, destaca.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas