Hotéis anunciam suspensão de serviços

Como medida preventiva ao novo coronavírus (Covid-19) e em atendimento às recomendações de órgãos nacionais de saúde, alguns dos principais hotéis baianos estão suspendendo temporariamente os seus serviços de hospedagem


Tribuna da Bahia, Salvador
26/03/2020 11:01 | Atualizado há 13 dias, 12 horas e 58 minutos

   
Foto: Reprodução

Por: Lício Ferreira


Como medida preventiva ao novo coronavírus (Covid-19) e em atendimento às recomendações de órgãos nacionais de saúde, alguns dos principais hotéis baianos estão suspendendo temporariamente os seus serviços de hospedagem. O Hotel Via dos Corais, situado na paradisíaca Praia do Forte, anunciou, esta decisão na última segunda-feira 23, e a previsão é de que a interrupção das atividades perdure por 15 dias.

De acordo com a proprietária do estabelecimento e membro da Turisforte, Rosa Brandão, a medida é necessária para evitar a proliferação do vírus e para a preservação da saúde de nativos e turistas. “Nós, da família Via dos Corais, temos o compromisso de cuidar de todos para que cada experiência em nosso Hotel seja inesquecível. Por sermos do meio hoteleiro e atendermos a públicos diversos, estamos cientes da nossa parcela de responsabilidade quanto ao combate à disseminação do novo coronavírus”, afirmou.

NÃO CANCELE

Para o coordenador do Procon-Bahia, Filipe Vieira, “as providências do setor, tendem a seguir a linha de ação das companhias aéreas quanto às políticas de remarcação, cancelamentos e devoluções ou constituir os valores em créditos aos consumidores para que façam novas viagens’. A sugestão do trade turístico, é que o turista não cancele a hospedagem, mas reagende a sua estadia para um momento mais seguro. “Não será cobrada taxa para esse remanejamento”, adianta a representante da Turisforte, Rosa Brandão.

Coordenadora da Câmara de Turismo do Estado da Bahia, da Fecomércio, Avani Perez Duran, diz que a medida que está sendo tomada é correta. Mas, que o remédio tem que ser dado na dosagem certa e com o tempo certo. “A suspensão das hospedagens é correta para barrar o vírus. Realmente, precisamos cuidar da saúde física das pessoas e, por extensão, também da saúde mental delas”.

Economicamente falando ela completa: “As pequenas empresas do setor de turismo não podem suportar mais do que 25 dias paradas. Porque, senão, muitos empregos serão ceifados. Já uma empresa estruturada terá um ‘colchão” para sobreviver por mais dias. Todavia as autoridades vão ter que saber medir esse tempo de paralisação. Afinal, não é para matar as pessoas e salvar a economia. Tampouco, não desrespeitar a saúde das pessoas, mas ter equilíbrio de como agir nesse momento tão delicado da vida humana”, sinaliza.

TRADE AVISA

Através de nota – por WhatsApp - recebemos a posição do secretário estadual de Turismo, Fausto Franco. Segundo ele, “apesar dos impactos que serão causados no turismo, o momento é de seguir todas as orientações e recomendações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde, do Governo do Estado e da prefeitura para conter a proliferação acelerada desse vírus”.

Enquanto o presidente da ABIH-Bahia, Luciano Lopes assim se pronunciou: “O fechamento inicial dos hotéis está recaindo, sobretudo, em função da preocupação em preservar as pessoas, tanto os hóspedes, quanto os colaboradores e fornecedores. Com o objetivo de evitar cancelamentos de contratos de trabalho em larga escala e o fechamento de hotéis, a ABIH-BA tem solicitado o apoio dos Governos Federal e Estadual e dos municípios situados nas zonas turísticas do Estado, bem como de bancos de desenvolvimento, privados e apoio institucional dos mais diversos segmentos. Este problema já comprometeu o ano de 2020. Os hotéis estão priorizando remarcar as viagens. Mas são inevitáveis os cancelamentos que estão afetando todas as zonas turísticas do estado da Bahia”, finaliza.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas