Prefeitura realiza operação para retirar sucatas das ruas da cidade

A operação visa preservar a estética de Salvador, além de contribuir para a mobilidade e questões da saúde pública


Tribuna da Bahia, Salvador
28/02/2018 13:57 | Atualizado há 25 dias, 12 horas e 24 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Rayllanna Lima

Os bairros do Saboeiro, Engenho Velho de Brotas, Castelo Branco, Cajazeiras, Santa Mônica, Pituba e Itapuã receberam a Operação Sucata da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) nesta terça-feira (27), quando foram retiradas das ruas pelo menos onze sucatas entre as 8h e 17h. A operação visa preservar a estética da cidade, além de contribuir para a mobilidade e questões da saúde pública.

Toda a ação foi acompanhada pelo chefe do Setor de Estética de Salvador (Sepec), Roberto Guerreiro. “Retiramos sucatas das ruas todos os dias, mas as operações maiores são todas as terças e quintas. O principal motivo é a preservação da estética da cidade, mas a ação contribui com mobilidade, tanto nas vias de transporte quanto do pedestre, porque retira das ruas e calçadas algo que está atrapalhando”, disse.

“Contribui também para a saúde pública, porque essas sucatas acumulam água, ratos e mosquitos que podem proliferar doenças. E alguns desses carros também são utilizados para assaltos, com homens que se escondem nesses veículos para praticar a ação, então ajuda na questão da segurança”, completou Guerreiro.

No ano passado, a Semop bateu recorde em relação aos anos anteriores em número de retirada de sucatas dos logradouros públicos. No total, foram feitas 1.705 notificações para remoções pelos próprios proprietários, resultando na retirada de 1.492 sucatas das vias públicas da capital baiana. Este ano, até a manhã de ontem (27), haviam sido retiradas 65 sucatas, sendo 41 apreensões, 24 remoções pelos donos e emitidas 88 notificações.

De acordo com o órgão, todo material apreendido é levado para o Setor de Guarda de Bens (Segub), localizado na Avenida San Martin. Os proprietários podem fazer a retirada de seus veículos mediante apresentação de documento de identidade com foto e documentos do veículo/sucata. A multa varia entre R$ 700 e R$ 1 mil. Se o equipamento não for retirado em 60 dias, poderá ser leiloado.

Moradores de regiões que sofrem com sucatas empacadas nas ruas comemoram as ações, como a dona de casa Joana Silva, 42. “O pior de tudo é que quando chove fica cheio de água, com foco de dengue. Com essas epidemias, já alivia nossa preocupação”, comentou.

“O problema é que tem muito ferro velho que acha que é dono da rua, aí fica acumulando esses ‘bagulhos’ que nem andam mais. É bom que tira tudo mesmo, deixa a rua livre pra gente circular”, comemorou o morador do Engenho Velho de Brotas, Roger Pereira, 58.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas