Desde a descoberta, Bahia já teve 30 mil casos de Aids

Em Salvador, de 2007 a 2015 foram diagnosticado 7.383 casos de Aids em maiores de 13 anos


Tribuna da Bahia, Salvador
22/07/2017 07:26 | Atualizado há 29 dias, 1 hora e 3 minutos

   

Por Gabriele Galvão

A Aids ainda mata, principalmente se o diagnóstico for tardio. Na década de 1980, várias pessoas morreram vítimas da doença, inclusive, artistas famosos. De lá para cá, a medicina evoluiu e hoje coquetéis garantem vida quase normal dos soropositivos. No entanto, o Brasil ainda apresenta números elevados de novos contaminados pelo HIV. Dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) revelam que, desde o primeiro caso notificado (1984) até 2016, foram registrados no estado 30.382 casos de Aids, desses, 19.135 (62,9%) do sexo masculino e 11.247 (37%) do feminino. 

De acordo com a Sesab, a taxa de detecção de Aids apresenta tendência de crescimento. Em 2010, havia uma taxa de 12,9, e em 2015 de 13,4 casos por 100 mil habitantes. De 1996 até 2015, foram declarados 8.724 óbitos por Aids; destes 5.759 (66%) ocorreram em homens e 2.965  (33,4%) em mulheres. 

Em Salvador, para o período de 2007 a 2015 foram diagnosticado 7.383 casos de Aids em maiores de 13 anos, observando-se tendência de crescimento ao longo dos anos. De 2007 a 2015, 68,2% dos casos diagnosticados foram do sexo masculino. Em relação à faixa etária observa-se uma concentração de casos na faixa de 20 a 49 anos, cerca de 84% dos casos notificados.

Leia mais na edição impressa do jornal ou no Tribuna Virtual.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas