Jaques Wagner acusa Temer de tentar vender Petrobras

O ex-governador da Bahia afirmou que o governo do presidente Michel Temer (MDB) tem tentado “destruir” a Petrobras


Tribuna da Bahia, Salvador
29/05/2018 05:52 | Atualizado há 24 dias, 19 horas e 53 minutos

   

Por Rodrigo Daniel Silva

O ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), afirmou, ontem, que o governo do presidente Michel Temer (MDB) tem tentado “destruir” a Petrobras para depois vender a grupos estrangeiros. Segundo ele, a Refinaria Landulpho Alves, que fica no município de São Francisco do Conde, tem hoje usado apenas 50% da capacidade para reduzir a produção e a União importar combustíveis de outros países. “[A crise do país] é uma consequência do desastre da política de preço da Petrobras, que eu, sinceramente, só consigo enxergar um motivo para isso. É a destruição da companhia para a venda. [...] Pior do que corrupção é entrega do nosso patrimônio para os gringos”, afirmou Jaques Wagner, em entrevista à imprensa, durante a inauguração da Policlínica Regional de Feira de Santana. 

No entendimento dele, é preciso relançar, de novo, o movimento “O petróleo é nosso”, lançado no final da década 1940 por grupos nacionalistas contra os “entreguistas”. O ex-governador também defendeu o protesto dos caminhoneiros contra a disparada do preço do diesel. Para ele, “a motivação é justa”. O ex-chefe do Palácio de Ondina fez um apelo, no entanto, que a categoria tenha a “sensibilidade de garantir os serviços básicos”. Jaques Wagner reiterou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o candidato do PT ao Palácio do Planalto. Também pediu que a Justiça solte o petista, que está preso desde o dia 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ser condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

“Soltem Lula que ele vai resolver essa bagunça em 48 horas e ainda vai fazer um churrasco. Na verdade, [o país] está precisando de gente que tenha capacidade, autoridade política, de liderança para poder negociar essa crise que está aí. O governo atual não tem nenhuma liderança e nenhuma capacidade de fazer”, frisou. Wagner disse, ainda, que o governador Rui Costa (PT) deve definir até o dia 6 de junho a chapa que vai disputar a reeleição. Ele reiterou que será postulante ao Senado, e garantiu a presença do vice-governador João Leão (PP) na composição governista.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas