Câmara promove debate sobre as matrizes do forró

Atividade integra série de encontros para processo de reconhecimento junto ao Iphan


Tribuna da Bahia, Salvador
11/07/2018 17:49 | Atualizado há 10 dias, 20 horas e 11 minutos

   
Foto: Divulgação/CMS

Defender as matrizes do forró, através do registro no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Esse será o foco da audiência pública que acontece nesta quinta-feira (12), às 14h, no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, na Praça Municipal. A atividade é uma iniciativa da vereadora Aladilce Souza (PCdoB) e da Comissão de Cultura da Câmara.

A audiência faz parte de uma série de encontros que têm sido realizados em diversos estados e municípios para atender ao processo de reconhecimento das matrizes do forró junto ao Iphan. Em 2011, a Associação Cultural Balaio do Nordeste solicitou o registro, que é o instrumento legal para assegurar a preservação do Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro e garantir políticas de salvaguarda a esse bem.

Todas as informações coletadas nas audiências que estão sendo promovidas para discutir as matrizes do forró serão utilizadas no processo de reconhecimento pelo Iphan. “O reconhecimento depende dos estudos e pesquisas realizados pelo instituto. Portanto, precisamos explicar para as autoridades a importância do debate desse registro, além de levantarmos recursos para nosso objetivo”, afirmou Rozania Macedo, presidente da associação.

Segundo Rozania, a proposta já tem o apoio de diversos forrozeiros, entidades e políticos, como a vereadora Aladilce que, em sessões especiais na Câmara Municipal em 2017, homenageou ícones da cultura nordestina, como Targino Gondim e Bule-Bule. Aladilce também é autora de um projeto de lei que determina cota na contratação de artistas locais em eventos do município.

“O reconhecimento das matrizes do forró é fundamental para preservar a identidade e salvaguardar os direitos de todos e todas que mantêm viva essa cultura”, destacou Aladilce. Para a vereadora, a realização da audiência será mais uma contribuição para o processo de registro pelo Iphan.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas